Publicado em

O Spray Anti-monstros

Pode começar baixinho logo antes da hora de dormir ou aparecer de repente num choro alto a meio da noite… “Mãaaaeeeee! Há um monstro debaixo da minha cama!”. Cheios de vontade de irmos para a cama ou ainda não totalmente acordados, damos por nós a pensar nesta tontice de ter medo de monstros que não existem e sai um “não precisas chorar, não há monstro nenhum”.

Mas como nos sentiríamos se nos dissessem que aquilo porque estamos a passar não é real? Se desvalorizassem aquela emoção que tanto está a mexer connosco? Os monstros até podem não existir mas os medos das crianças são bem reais.

Até aos 3 anos de idade as crianças costumam experienciar medo ao estar longe dos pais, perante situações/pessoas estranhas, ruídos fortes e animais. Entre os 3 e os 6 anos, os medos tornam-se mais elaborados e começam a assentar na fantasia: surgem os medos do escuro, monstros e fantasmas, de dormir sozinho e perder as figuras de referência. É muitas vezes esta a idade dos pesadelos e terrores noturnos, sendo sempre importante avaliar o grau de intensidade que o medo tem na vida da criança, procurando ajuda especializada quando necessário.

Seja qual for o medo da criança, é importante que este não seja ignorado ou desvalorizado. O que a criança precisa é sentir-se segura, ouvida e validada – “percebo que estás assustado(a)”; “estou aqui ao pé de ti”; “não faz mal ter medo”; “podes contar-me sobre o que te assusta?” estas são algumas frases que podem ajudar a criança a elaborar o que está a sentir.

Quando os medos surgem na hora de dormir, uma rotina tranquila ao deitar (com direito a spray anti-monstros!), um pijama confortável, um boneco para aconchegar e uns largos minutos de mimos dão uma boa ajuda!

 

Obrigado Patrícia Fernandes  Psicóloga Infantil (podem seguir no Instagram @slow.mae )

O que acharam deste texto? Também têm um spray anti-monstros para ajudar a dormir?